Quer fazer sua empresa crescer? Aprenda a delegar!

Há muitas razões para uma empresa não crescer como o desejado. Às vezes, o problema é justamente o pai da criança. Porque sim, há empreendedores que tentam abraçar o mundo e acabam prejudicando o próprio negócio. Por isso, se você quer fazer sua empresa crescer, aprenda a delegar!

Essa é uma recomendação fundamental em gestão de negócios, ao mesmo tempo, é uma das mais contrariadas por empreendedores. Afinal, a figura do dono de empresa sobrecarregado já é quase uma tendência entre nós.

Isso porque essa é uma realidade facilmente encontrada nos ecossistemas empresariais, é aquilo que alguns chamam de “chefe centralizador”.

Ou seja, são donos de empresas que acumulam uma série de atividades que extrapolam seu tempo e suas competências, sem fazer nada para mudar essa situação.

Esse cenário é profundamente problemático para os negócios, com efeitos sobre a cultura da empresa e o ambiente de trabalho, chegando até às últimas consequências: os resultados.

Em outras palavras, há um determinado momento em que, apesar de toda boa vontade, muitos donos de empresas atrapalham mais do que ajudam.

Contudo, é possível compreender essa realidade quando imaginamos a trajetória de um empreendedor, que normalmente começa sozinho a construir a história da empresa. Assim, há um apego em participar da operação e uma insegurança em transferir responsabilidades.

Entretanto, o crescimento tem muito a ver com escala, que por sua vez depende de expansão a operação. Então, se pergunte, você é capaz de expandir sua operação sem ajuda de parceiros ou colaboradores?

Seja como for, a resposta é previsível…

Por isso, o ideal é que o dono da empresa ocupe cada vez menos espaço na operação, logo, assumindo cada vez mais um lugar estratégico.

Portanto, se você não quer reproduzir o tipo “centralizador”, saiba que o melhor a fazer pela sua empresa é confiar na capacidade de outras pessoas. Então vamos aprender, de uma vez por todas, a delegar…

Defina seu lugar

A primeira coisa que precisamos entender é que todas as pessoas têm pontos fortes e pontos fracos. Nesse sentido, por mais competente e habilidoso que o dono da empresa seja, sempre haverá uma ou mais áreas fora dos seus domínios.

Ou seja, tem coisas que fazemos bem e tem coisas que não fazemos bem. A princípio, esse é um ótimo critério para delegar algumas atividades.

“- Ah, mas eu sou fora da curva. Sei cuidar de qualquer área da empresa!”

Bem, pode até saber, mas você continua sendo um só.

“- Ah, mas eu posso aprender a fazer aquilo que eu não sei.”

Sim, pode. Mas quanto tempo isso vai levar e a que custo para o seu negócio?

Por isso, independente do seu talento ou da sua vontade de aprender, há um momento decisivo nas empresas, em que aumentar a escala implica necessariamente em delegar atividades. Caso contrário, sua empresa vai estagnar. Esse é o ponto!

Portanto, é preciso estar preparado e disposto a fazer essa passagem da melhor maneira possível.

Foque na estratégia e modere as expectativas

Antes de tudo, comece elencando as atividades que você tem maior afinidade, tendo em perspectiva um segundo critério: as atividades mais estratégicas.

Assim, a partir desses dois critérios, você certamente vai identificar atividades delegáveis. Dessa forma, o seu lugar será naturalmente mais e mais definido.

Agora, se você não sabe distinguir com exatidão aquilo que você faz bem daquilo que você não faz bem, ou aquilo que é estratégico daquilo que é operacional, então considere solicitar uma ajuda externa. Afinal, uma consultoria sempre cai bem nesses momentos decisivos!

Mas antes de entrarmos no próximo tópico, aqui cabe uma ponderação: não espere que um colaborador trabalhe com a mesma entrega que você. Isso segundo o estimado GaryVee, que nos relembra a todo momento: o ganho do dono da empresa é desproporcional ao ganho de seus funcionários, o que justifica a desigualdade no ímpeto de trabalhar.

Ou seja, nunca compare um colaborador a si próprio!

Finalmente, podemos observar as principais áreas de uma empresa, e avaliar quais delas podem ser delegadas.

delegar a Entrega, por que não?

A primeira delas é a entrega, que podemos separar em produção e serviço. Ou seja, se você vende um produto, você pode delegar o controle da linha de produção, por exemplo.

Já se sua empresa oferta serviços, então você pode lançar mão de colaboradores para executar o serviço e até desenvolver um padrão de atendimento.

Esse é um setor bastante estratégico, então mesmo que você conte com parceiros, colaboradores ou terceirizados, é importante estar por dentro dos eventos. Isso porque a entrega é determinante para o crescimento de uma empresa, justamente por ela ser um processo chave na escala das suas vendas.

Agora, se você é uma pessoa que gosta da operação, da parte de segmentação de mercado, tem disposição para cuidar desse tipo de detalhe, e seu negócio está plenamente escalável, então busque alguém para cuidar das outras áreas…

delegar a Aquisição de clientes: importante e delicado

Esse setor do negócio envolve duas áreas distintas, que são vendas e marketing. Ou seja, pode ser que você faça muito bem uma ou outra, ou ambas, ou mesmo nenhuma delas.

Portanto, a decisão de o que e como delegar as atividades de aquisição de clientes depende muito do perfil do dono…

Geralmente, o marketing é mais delegável que a parte de vendas. Afinal, em vendas há um envolvimento maior com os clientes na ponta, o que torna essa área bastante estratégica.

Além disso, se um vendedor contratado for obrigado a cuidar sozinho de todo processo de vendas, provavelmente surgirão fatores de risco, como problemas de escala e de qualidade no atendimento.Mas independente disso, o objetivo será sempre de complementar as suas habilidades…

Por exemplo, uma das empresas clientes da Estude Vendas tem um dono craque em marketing digital, o que levou ele a se ocupar mais dessa área do que os assuntos de vendas.

Agora, se esse não é o seu caso, o melhor mesmo é seguir o script, ou seja, considerando vendas um lugar prioritário do ponto de vista estratégico.

[Quer se aprofundar neste tópico? Confira o artigo “Marketing ou Vendas, onde investir?”]

exige confiança, mas DELEGAR O ADMINISTRATIVO É FÁCIL

Essa é uma área sensível, que envolve muita confiança. Ao mesmo tempo, suas atividades são bastante operacionais, o que favorece a delegação. Ou seja, basta encontrar as pessoas certas para te ajudar nesse sentido.

Aqui, vale lembrar da importância de estruturar um bom processo de recrutamento na sua empresa!

Afinal, uma contratação equivocada pode, ao invés de solucionar o gargalo, agravar ainda mais a situação.

Portanto, se você não tem jeito pra cuidar de contratos, cobranças, recebimentos, questões jurídicas, enfim, a parte mais burocrática do negócio, não pense duas vezes. Saiba que o melhor para sua empresa é delegar essas funções!

Conclusão

Todos nós temos um tempo limitado de trabalho por dia, que dificilmente será suficiente para resolver todos os problemas de uma empresa. Por isso, no limite, essa situação demanda uma ajuda externa, seja por meio de parcerias, contratação de colaboradores ou terceirizados.

Nesse sentido, é preciso localizar os gargalos e estabelecer os critérios de prioridade para, enfim, delegar algumas atividades – das mais operacionais às mais estratégicas. É assim que pouco a pouco deixamos de ser simplesmente um dono de empresa para ser, cada vez mais, o líder de um negócio escalável e promissor.

Quer saber mais sobre como delegar atividades? Confira esse conteúdo no YouTube, com comentários do nosso CEO André Perdomo:


Quer saber mais sobre inside sales? Visite o site da Estude Vendas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *